Vim fazer intercâmbio e virei a minha mãe!

Hoje é Dia das Mães por estas bandas e, por isso, resolvi publicar esse texto que surgiu após muita observação. Durante uma chuvosa tarde de domingo em Dublin, enquanto separava as roupas pra lavar, percebi que vim fazer intercâmbio e virei a minha mãe.

Não sei como funciona(va) na sua casa. Na minha, ela tomava conta da máquina de lavar e não deixava ninguém se aproximar. Os motivos alegados variavam entre “você vai gastar muito sabão”, “você não sabe configurar a máquina” e “você não sabe pendurar as camisas direito” (!!!). Preto não mistura com colorido. E havia uma quantidade de roupas que poderíamos colocar para não sobrecarregar o tambor e pifar o treco de vez. “Me dê cinco peças brancas” e lá saíamos eu e meus irmãos, como em uma gincana, em busca de camisas espalhadas pelos quartos e banheiros. E ai de nós se alguma peça fosse esquecida! Era um sermão de infinitas horas.

cinderella
Não tão cândida assim…

De volta à Dublin, me flagrei contando as peças de roupa. “12, 13, 14 e… mas peraí. O que esse número quer dizer? Qual é o máximo? Qual é o mínimo? Não importa. 18, 19 e 20”. Vinte tá bom, apesar d’eu não saber exatamente o que isso significa.

Só agora compreendo a fúria que toma conta do nosso corpo quando acabamos de rodar a máquina de roupas claras e vemos que esquecemos duas camisas.

Foram 28 anos e meio morando na mesma casa e absorvendo influências. Nunca entendi a necessidade de sempre checar o preço do sabão em pó e aproveitar as promoções, fazendo um estoque suficiente para dois anos. Foi assim até perceber a diferença entre sabão barato e sabão bom. Agora sou a melhor amiga das promoções de Ariel e amaciante Lenor. Até já cheguei a compartilhar, com entusiasmo, a oferta em um grupo chamado “Calcinhas in Ireland II”, exclusivo para mulheres que vivem na Irlanda.

ariel tesco half price reduced

Também entendi que tomar um iogurte vencido há cinco dias não vai me trazer grandes problemas. Se antes fazia cara feia e jogava fora, agora até repito em voz alta a mesma justificativa: “ (o produto) estava bem acondicionado”.

Eu pensava “Quem, em sã consciência, compra pão integral ao invés de pão branco? ”. O mesmo se aplica a todas as alternativas saudáveis para produtos do dia a dia, como açúcar demerara e macarrão integral. Agora, de vez em quando, me flagro enchendo o armário com as mesmas opções.

Virou hábito conferir a nota do mercado item por item; comparar a metragem do papel higiênico pra descobrir qual pacote é mais vantajoso (nem sempre funciona. Também tem que comparar o preço, dividir pelo número de rolos pra saber quanto custa cada um individualmente e ver se os dois são folha dupla… sou de humanas, fico confusa no meio do caminho); não esquecer a chave de casa; pagar as contas em dia; recarregar o celular; esticar o salário para chegar ao fim do mês; encontrar alternativas; trabalhar duro; tomar vitaminas. Em resumo: me virar da melhor forma possível.

Para alguns, a influência materna é vista com maus olhos no sentido de limitar o desenvolvimento de uma personalidade própria. Dizem que atrapalha o amadurecimento. Eu penso o contrário. Pra mim, o fato de a ver em muitas das minhas atitudes diárias é, além de uma constatação divertida, um orgulho.

Obrigada pelos ensinamentos. I am because you are.

2 Comentários


  1. Que linda declaracao de amor, Savana. A Marciana deve estar muito orgulhosa de ti e feliz por voce ser uma grande parte dela.

    Responder

Deixe uma resposta